CAMOCIM, FILHO ILUSTRE!

 

 

                             A Viagem!

  

     Um brasileiro arrojado que acompanhado de um co-piloto, um cinegrafista, um mecânico e um jornalista se atreveu a uma aventura que ficou na história.

 

     Este ilustre brasileiro nasceu a 15 de abril de 1892 em Camocim! Filho de Antônio Pinto Martins e Dona Maria do Carmo Araújo Martins. Formou-se em engenharia no Drexel Institute da philadelfia.

     Euclides Pinto Martins casou-se duas vezes. Sua primeira mulher foi Dona Gertrudes Mac Miller. Casados logo após a formatura dele infelizmente, morre-lhe cedo a mulher. Com o falecimento desta, nosso herói levou alguns anos para cicatrizar sua ferida, no entanto, passada a dor caiu novamente nas flechas de cupido e casou-se, desta feita, com a advogada Adelaide Sulivan.

     Sua paixão era a aviação e sonhou com a travessia do Atlântico entre os EUA e o Brasil. Para nossa visão atual  este não parece ter sido  um grande feito pois os gigantescos aviões Jumbo fazem este trajeto, diariamente, com centenas de passageiros a bordo. Porém, o equipamento que Pinto Martins tinha não era apropriado para viagens às grandes distâncias. Principalmente sobre o oceano. Apesar disto os rapazes eram aventureiros e corajosos. Pois no dia 17/08/1922 partiram de New York com destino ao Brasil pilotando um hidro avião biplano que pesava 8.000 quilos com seus dois motores de 400 HP. Essa máquina voadora foi cedida pela Marinha Americana e a viagem foi considerada uma temeridade. O aeroplano foi batizado com o nome de Sampaio Correia.

     Sua partida de New York, por volta das 15:00 horas daquele dia só conseguiu leva-los até a costa de Cuba onde surpreendidos por um temporal, fizeram um pouso forçado no mar( Bem, na verdade, eles caíram mesmo pois o hidroplano foi para o fundo! ). Escaparam milagrosamente, socorridos por um navio americano. A viagem terminaria ali, se não fosse o jornal “The New York Word”, que interessado na reportagem lhes cedeu outro avião idêntico que foi nomeado “Sampaio Correia II”. Eles tiveram ainda alguns problemas, mas finalmente em 19/12/1922, quatro meses depois,  pousavam em Camocim, por volta das 12:30 horas. Passaram o dia aqui em festa, foram recepcionados no Sport Club e partiram, de manhã, com destino a Fortaleza, Aracati, Recife, Salvador, Vitória e, finalmente Rio de Janeiro em 08/02/1923 onde nossos heróis foram homenageados.

Aí está, amigos, uma breve visão da viagem feita por Euclides Pinto Martins que  se prolongou por sete meses.

Com recursos da computação gráfica, conseguimos devolver aos ares camocinenses o avião  de Pinto Martins e sua corajosa equipe. O hidroavião biplano  da foto é realmente o da viagem! Percebemos que a imprensa internacional não dá muita ênfase ao feito de nosso conterrâneo. Costumo assistir através da tv por Assinatura,  programas sobre grandes feitos da humanidade e vos asseguro que Pinto Martins e o outro grande brasileiro da aviação, que se destacou na Europa: Alberto Santos Dumont não são lembrados, assim cometendo-se grande injustiça aos nossos heróis do ar. Estive pensando um pouco a respeito e noto que para nossos colegas americanos do outro lado do mar, já é “espinho de garganta”de sobra o feito de último brasileiro na França, pois ao realizar o seu primeiro vôo “nossos queridos amigos”do outro lado da América, juraram que tal feito já havia sido realizado antes pelos conhecidos Irmãos americanos...                                                                                                                                            RPires

 

         

Ver Sport Club  

 

Ver mais sobre Pinto Martins  

 

Pinto Martins por Ralph Cooper 

                  

Clique aqui e veja o Sampaio Correa!

Direito autorais: Todo material poderá ser usado pra fins culturais desde que se divulgue conjuntamente a fonte: (Literario.com.br de Rpires)

                                   

Ao lado, com recursos da computação gráfica, uma fantasia de RPires,  recolocando o hidroavião de Pinto Martins na Foz do Rio Coreaú como aconteceu no passado. Ao fundo, o Prédio da Antiga Estação Ferroviária, hoje Universidade Vale do Acaraú,  Campus de Camocim.                        

 

Visitantes

Escreva-nos!